sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Os indignados

Chego à conclusão que Portugal é um país de indignados, mas muitas vezes pelos motivos errados. Estou estupefacta com o que passa nas redes sociais por causa do que a Isabel Jonet disse na SIC notícias. Fazer uma petição a pedir a demissão da Isabel Jonet causa-me repulsa e faz-me sentir vergonha do país que temos. Há uma parte da sociedade portuguesa que cada vez que ecoa qualquer coisa sobre contenção de despesas e viver mais “ pobremente” salta à tampa e vem para cá fora reminiscências do passado histórico português do tempo do salazarismo. Essa ferida, parece que não fechou e ainda está por sarar na sociedade Portuguesa e que se comporta com premiscuidade em relação ao consumo. Outra parte da sociedade, vive alheada da sociedade e acha que o problema nunca é deles, é do governo! E também acha que a solução nunca passa também por eles, como se distanciassem e vivessem numa realidade paralela. Desde que a crise não lhes chegue aos bolsos e dê para uma imperiais e uns tremoços, “ tá-se bem!”.

Nós Portugueses vivemos durante muito anos a viver à ricos e todos, compactuámos com isso. Cresci num país num país com tiques de rico, numa sociedade em que parecia mal levar sandes para a escola, levar o almoço para o trabalho, andar de transportes públicos, não fazer férias anualmente no Algarve, não ter carro e casa própria. Num país que muitas famílias contraíram créditos para pagar telemóveis, computadores, férias às caraíbas ou viagens de finalistas aos filhos.

Quando vem a Isabel Jonet pôr o dedo na ferida e dizer que temos que “ empobrecer muito” acusam-na de ser rica e de não saber o que é a pobreza. Pois, o que sabe ela? Sabe muito mais do que a maioria de nós, conhece a realidade de perto e decidiu dar a sua vida a uma causa. Ela, que podia ter tido um futuro à frente de uma grande empresa e com um ordenado milionário, ou então ter decidido ter passado a sua vida entre chás, jogos de bridge com as amigas e tardes de spa e personal trainer. Não, decidiu estar voluntariamente, e sem qualquer tipo de remuneração, no Banco Alimentar, para agora, ainda por cima, levar uma cambada de ingratos que amua ao primeiro puxão de orelhas.  Chateia-me gentinha que ache que para saber o que é a dor tem que ser serrado ao meio, para saber o que é o pobreza tem que viver com uma lata de sardinhas a dividir por sete. Se alguém ousa dizer alguma coisa, levam a mal e acham que não tem moralidade.

São precisamente esses indignados que nunca precisaram do Banco Alimentar que se multiplicaram em petições anedóticas e mostrar o "civismo" que têm. Por essas e por outras, é que dizer meia dúzia de verdades em Portugal, custa caro. Custa eleições, impopularidade e chacota pública. A todos os que a criticaram a Isabel Jonet, só tenho mais isto para dizer, a sério, deixem-se de merdas!


5 comentários:

Pipoca Mais Picante disse...

Só tenho um apontamento. Isabel Jonet aufere um salário pelo trabalho que faz no banco alimentar. Salário esse ao qual tem todo o direito e que é uma ínfima parte daquilo que poderia receber se trabalhasse para uma empresa. De resto subscrevo 100%. O Português tem de sentir as dores, quem não as sente não sabe do que fala, aliás é um sacana que deveria mas era ganhar o ordenado mínimo para saber o que é bom.
Vivemos num país banal, com gente banal e mais vale estarmos quietos para não sermos crucificados em praça pública. Cambada de imbecis!

Rabodesaia disse...

Pipoca mais picante, a Isabel Jonet, não aufere qualquer tipo de salário e isso já lhe foi perguntado e respondido inequivocamente por ela em algumas entrevistas que li. Uma delas, está aqui:http://www.seleccoes.pt/isabel_jonet_e_o_banco_alimentar_contra_a_fome
( «Se és tão boa gestora, porque é que não estás numa grande empresa a ganhar dinheiro?» Porque eu não quero ganhar dinheiro. Para já, tenho a sorte – embora isso exija alguns sacrifícios a toda a minha família – de poder prescindir de um salário).
As ideias que exprime aqui, foram as mesmas que já vem dizendo há anos, já o disse na televisão, numa entrevista ao Expresso, mas só agora é que os Portugueses decidiram-se indignar... Há coisas difíceis de perceber.

Pipoca Mais Picante disse...

Eu estava convencida que sim, que recebia e se tal acontecesse seria perfeitamente justo. Assim sendo, isso só faz dela mais altruísta ainda. Ela poderia estar numa empresa, bastaria querer.

tata disse...

SUBSCREVO COMO SABES!!

S* disse...

Gosto dela. Sei que o que disse não foi propriamente simpático, mas admiro-a enquanto pessoa e profissional.