domingo, 18 de fevereiro de 2007

Não Há Almoços Grátis

De certeza que já receberam dezenas de papéis de publicidade a entupir a caixa de correio àquelas viagens a “Salamanca”, “Cruzeiro no Douro”, “ Santiago de Compostela”, “ Mérida” duas noites.. a um preço hiper baixo ( tipo de 5 a 30 euros por pessoa).

Quem vai a estas viagens tem direito além da viagem de autocarro ( "autocarro espectacular") até ao destino, ainda de “ um presunto” ou de “ um bacalhau” ou de uma “ garrafa de azeite” de oferta, e ainda a um “ almoço espectacular” com entradas, dois pratos, sobremesa e café. O almoço ainda é acompanhado com “ fadistas de renome” ( ninguém os conhece... mas são de renome!). Depois do almoço faz-se visita acompanhada com o guia que vai mostrando as igrejas/ monumentos/ caves de vinho e contando a sua respectiva história. Quando a excursão é mais do que um dia, no preço ainda está incluído dormida no hotel, e mais um “ jantar espectacular” e um “ pequeno almoço espectacular” com tudo incluído.

Pois bem… o que não se diz… é que o público alvo ( target) é velhotes reformados. Com tanta coisa grátis, dá para desconfiar! No meio do almoço e do jantar e do pequeno-almoço “ espectacular” os “banha-da –cobra” impingem serviços de pratos e copos, faqueiros , e panelas, tupperwares, etc… a um grupo considerável de velhotes!

O marketing destas viagens é idêntica à da “ Ideia-Casa”( quem não se lembra do anúncio da Ideia Casa e da Maria Vá com Deus … com aquela voz anasalada a vender panelas que termóstato, banhadas a ouro, etc??..) que ofereciam pelo “ incrível preço” de 500 euros … e com a possibilidade de se poder pagar em 48 “suaves” prestações , um conjunto de copos, um microondas … e um ferro de engomar! Ás tantas quem via aquilo perdia a noção do que se estava a vender, mas fixava-se mais nos “ brindes” mais que pagos, mas que pelo facto de dizerem “ oferta” já conseguiam assediar um monte de velhinhos frustrados com o facto de nunca terem ganho nada na vida, nem sequer uma raspadinha, nem o totoloto, nem sequer o totobola. Ali “ ganhavam” algo, sem sorteio! E isso fazia-os sentir felizes e contentes na vida! Excelente golpe de marketing!

Nestas viagens é exactamente igual… paga-se um preço irrisório e depois faz-se com que uma carrada de velhos aos 70 anos comprem coisas que jamais na vida vão precisar, enquanto mandam uma garfada no bacalhau com natas ou no arroz doce ! Depois de 3 copos de vinho “avinagrado” e de verem tudo à roda, até uma torre de tupperwares com pegas de ouro , tem todo o sentido!

Bem… para quem sobra isto? Sobra de certeza para a neta, ou para a sobrinha, ou para a afilhada … que se vai casar…se não se casar… fica para o enxoval para quando casar… e se nunca se casar… ( Ai Jesus!! É uma desgraça! É a ovelha negra!!!)
Elas de certeza vão ficar hiper “felizes” da vida com um conjunto “espectacular “ de panelas, tupperwares ou de pratos a “imitar” os conjuntos de pratos do Luís XIV ( o Rei Sol) ou coisas do género! Com tanta coisa para comprar… um conjuntinho destes é mesmo o que mais necessitavam... de certeza! ( vistas bem as coisas é um progresso relativamente às meias, botinhas de lã ou pijamas hiper sexys de turco verde seco…).

O que eu sei, é que se estas viagens pegam.. é porque têm público.. e se têm público… é porque os velhotes até gostam! É a loucura dos velhotes reformados e das viúvas que veêm ali a hipótese de um fim-de-semana “ espectacular”, onde poderão tirar os seus casacos a cheirar a naftalina e sentir a adrenalina de 10 horas de autocarro… e trocar experiências de medicamentos com nomes impronunciáveis! É a loucura do almoço… que quase esquecem as 3 horas de seca dos “ banha- da- cobra” a impingirem produtos tão raros como inúteis! È a loucura do bailarico umas com as outras e uns com os outros… onde ás vezes até surgem pedidos de casamento (extasiados com o vinho de pacote… ou com o excesso de calorias e de açúcar no cérebro sei lá!). É a loucura da visita guiada pelo guia “ brasuca” que sabe mais de Portugal ou de qualquer cidade da Europa do que qualquer um de nós! Ou então é apenas a solidão que os move… e se estas excussões os fazem felizes, se é motivo de reunião e de convívio que mal têm?

Depois de todos os patamares da Pirâmide de Maslow estarem satisfeitos que mal têm guardarem para si este bocadinho se lhe propicia a Felicidade? E se o caminho da felicidade está a uma distância de uma torre de tupperwares e de uma viagem a “ Santiago de Compostela”, melhor! Se me calharem na rifa, juro que não fico chateada!

1 comentário:

Raquel disse...

Maria , tenho a certeza que já foste nessas viagens dos reformados e não nos queres dizer nada ;-)