quinta-feira, 4 de setembro de 2008

RSNY - Parte I

Estar em Nova York é como entrar num filme, onde se é figurante.

É impossível estar em Times Square sem ficar encantada com as luzes por todo o lado, com a agitação que vai nas ruas, com a cidade que não pára, não dorme e não pisca os olhos. Em Times Square são ladeados por carrinhos onde se vendem hot dog´s ou mazel, t-shirts a dizerem I love New york e malas de senhora ( a imitar marcas). Toda a gente anda em grande velocidade e eu andava também rápido contra o tempo. Queria assimilar tudo, ver tudo o que se passava à minha volta.

Times Square é atravessada pela Broadway que se divide em vários teatros ao longo da zona. Fomos ver o Rei Leão, lindo, chorei nos momentos mais dramáticos e ri a bom rir nos momentos mais hilariantes. Excelente espectáculo!

Desengane-se quem pensa que em NY vai encontrar obesos a pontapés. Mulheres e homens obesos podem estar em muito sítio mas não em NY. Numa cidade tão cosmopolita e com tanto movimento é difícil ser assim, ou por arrastamento à maioria ou porque a própria cidade é propícia a caminhar ao ar livre e ao desporto. ( muitas pessoas vão de ténis pela rua enquanto vão para o trabalho a pé e depois trocam-nos).

Há o culto do corpo pois! As montras são de bom gosto e bonitas, apelam à elegância e ao mais fashion. As ruas estão cheias de mulheres e homens cuidados e com bom aspecto. Quem ousa ficar atrás? Em muitas horas a pé durante alguns dias pela cidade vi menos de 3 obesos, o que é uma boa estatística.

Em NY as pessoas não se sentam à mesa de um restaurante para comer. O Nova yorquino típico vai comprar o almoço e come nos bancos de jardins ( o que seria impensável em Portugal… estão a ver um homem de fato a comer na rua? Ou uma mulher impecavelmente vestida e maquilhada sentada numas escadas a comer uma sandes?)

Quase não se vê ninguém a fumar. Fumar está mesmo fora de moda. Eu ainda resisto com o meu péssimo vício. O facto de ninguém fumar contribuía para que eu fumasse dois cigarros a noite e não tivesse vontade para mais. Estou convencida que com um maço a 7 Dólares e proibição de fumar em quase todo o lado deixava de vez o vício.

O Central Park é encantador. Vêem-se famílias a passear, namorados, crianças a brincar livremente, pessoas a fazer desporto, a almoçar, a fazerem piqueniques, e até mesmo toalhinhas estendidas e corpo ao sol em bikini a torrar.

Ir ao cimo do Empire State Building faz parte da visita obrigatória pela cidade, tirar muitas fotografias também faz parte… e estar preparado para subir os últimos seis pisos a pé, também convém estar-se mentalizado.

Quando se fala de nacionalismo, o melhor exemplo deveria ser a América! Estão a imaginar vender-se t-shirts a dizer eu amo Portugal? Pins com a bandeira de Portugal?
Etc? Nops… simplesmente porque fizemos da nossa bandeira um símbolo bimbo, achamos a conjunção de verde e vermelho pirosa ( e até é).

Se o nosso país fosse uma marca de supermercado, seria tipo o Pudim Boca Doce . Com algum potencial, mas foleiro. Com mau marketing, com a mesma embalagem há séculos e pouco convidativa. Já NY tem glamour para ser marca ou fazer parte dela, qual DKNY da Donna Karan, hoje quem assina o blog é a RSNY .

Rabo de Saia NY

2 comentários:

Mary disse...

Oi Mary,
Como é bom viajar e conhecer lugares bonitos e interessantes, não é mesmo! NY é fantástica, lá tudo é poesia e encantamento.
Seja sempre bem-vinda!
Bjs

Mistique disse...

Gosto das tuas Saias!!
Parabéns, comecei nestas andanças mas o tempo tambem nao é muito mas aqui vai:
http://madrugadasforaeusoumaiseu.blog.com/

Marcia