quinta-feira, 26 de abril de 2007

Um 25 de Abril tipicamente Tuga

Pois é… não há desculpa possível! Eu confesso-me...rendi-me ao feriado tipicamente tuga...num centro comercial. Decadência eu sei!

Fui ao Colombo e estava a potes...se calhar até estariam mais, só que como abriu o túnel do Marquês ontem .. o tuga ficou dividido entre passear no túnel ou ir para o Colombo.Eu fiz parte da trupe " Colombo" ( do mal ao menos).Estavam ali famílias inteiras reunidas e pelo shopping era ver as “ famílias felizes” a “passearem” calmamente pelas lojas e a enfardarem “ Sundays”( acho que o Sunday se tornou o “ lanche” oficial dos centros comerciais).

Não vi ninguém de fato de treino… e daí que cheguei a uma constatação que : ou é um mito, ou só não vi porque não era domingo... e o tuga apesar de tudo, leva a tradição à letra.. .e fato de treino é no Domingo e não no feriado ( a não ser que o feriado calhe no Domingo).

Já se sabe que os homens nesses dias de compras são os mais lesados. Contudo, os shopppings cada vez são mais solidários com eles, e enchem os corredores com banquinhos “ de castigo”.

Quem lá passa assiste a um encontro de homens sentados nos bancos do corredor… todos seguidos. Estão sentados com ar de desgraçados com inúmeros sacos nas mãos, de lojas femininas. Não esboçam um sorriso, o olhar é perdido e as costas cada vez mais curvadas enquanto estão sentados nos banquinhos como se quisessem desaparecer dali e se enfiarem num buraco.
Depois de tantas horas de reflexão forçada devem encontrar pormenores que nunca tinham reparado nos seus sapatos… e dali devem sair grandes conclusões uma delas é: Toino!!Porque é que não fiquei em casa?

Para os “repetentes masoquistas” na arte da seca dos shoppings, já estão mais socializados e durante tantas horas de rabo sentado… já vão metendo conversa com o degraçado do lado . E ali, deve surgir grandes amizades masculinas movidas pela solidariedade... Afinal estão ali todos juntinhos e com ar de miseráveis e entre um cigarro e outro, partilhas de jornais desportivos, suponho que naquele momento de angustia, o sofrimento faça surgir a união e a amizade masculina.

Há ainda os que heroicamente entram nas lojas como acompanhantes e durante horas a fio assistem a passarele de todas as peças de roupa que haja na loja... ai distinguem-se nos que dizem “ fica bem! (Só para não se chatearem) mesmo sabendo que fica rídiculo, mesmo sabendo que a peça é horrorosa, e fica pessimamente….E depois há os ingénuos ( os toinos, mesmo!!) que dizem o que pensam e das duas uma: ou levam com um olhar reprovador da namorada/mulher ou então do olhar passa para as palavras e ali abre-se uma arena conjugal em que tudo começa no simples” Fica mal!!??? porquê?!!! Estás a dizer que estou gorda?!!!!!!!”

Com tanta gente que estava… acabei por não comprar nada. As lojas estavam apinhadas e eu estava cansada de tanto movimento e perdi a paciência para ter que gramar filas intermináveis para experimentar roupa e para pagar... ( estava mesmo um absurdo de gente!).Queria mesmo sentar-me, lado a lado no banquinho do castigo e ser solidária com eles no cansaço!( Toina , pensei eu!Que é que te deu para vires para aqui hoje?)Mas como não havia um espaço sequer desisti e continuei a andar.

Olhei à minha volta enquanto que o cenário parecia pousar para mim...putos a enfardar sundays, mulheres feitas loucas nas lojas, e os maridões impacientes mas disciplinados à porta das lojas à espera. Um rasgo de liberdade gozado cada um à sua maneira.
Eu cá gozei da minha liberdade e fui-me embora do shopping...a saída deram-me um cravo vermelho e eu pu-lo ao peito.

5 comentários:

Ze_Porvinho disse...

Cara Engenheira,

Ainda estou em estado de choque com essa S. descrição, tão real e vívida, dessa tortura para o homem lusitano que é o acompanhar uma pessoa de outro sexo nas compras!

É, pois, trémulo e com uma taquicardia fora do vulgar que me vou refugiar, para meditação, na adega do Senhor Marquês, de headphones na carola a ouvir, ininterruptamente, uma música dos U2, aquela, a tal... a mais apropriada para este S. post: Sunday, Bloody Sunday!!!!

Hic Hic Hurra

Rabodesaia disse...

Sr. Engenheiro,

Acho que faz lindamente em meditar na adega do sr. Marquês!;)se a vinhaça for da boa... diga qualquer coisa!

Ticha disse...

Os centros comerciais são dos melhores observatórios sociais, permitem-nos tirar o verdadeiro retrato ...O mais decadente são mesmo as crises conjugais no meio das lojas, é que o pessoal nem se dá conta das figuras que faz...é de chorar a rir..

Sr engenheiro concordo com a Mary, se a vinhaça for da boa, avise.

Anónimo disse...

MARIA
TENHO QUE ME RENDER À ANALISE SOCIOLÓGICA FEITA PELA VISÃO DE UMA MULHER QUE NÃO PRECISA DE ÓCULOS PARA VÊR A REALIDADE.
PARABÉNS.
O ANÓNIMO REGRESSADO

João J. disse...

Nós homens somos uns mártires.. Se dissermos "não ... não vou", ou dissermos "vamos lá então" o resultado é sempre o mesmo: apanhamos sempre uma seca descomunal, quer pelo sermão "tu nunca vens comigo a lado nenhum" ou pela seca de estar a espera de que elas saiam das lojas.... Não que tenha razões de queixa... ainda falta encontrar quem me pregue estas secas... ehehehe