segunda-feira, 9 de junho de 2008

O casamento

Sempre tive a sorte de não ir a muitos casamentos porque tenho um irmão mais velho que papou os casamentos todos dos amigos dos meus pais… como tal, a minha ideia de casamentos é um bocadinho diferente das pessoas ditas normais… porque adoro!! Casamentos de seca nunca tive! Ou seja os primeiros casamentos que fui na vida foram dos meus amigos!

Tenho amigos meus que se queixam que iam a muitos casamentos que eram “chatos” quando eram pequeninos… mas a minha teoria é que eles “ achavam” que era “ chatos” porque ainda estavam na altura que bebiam “ sumo”. A partir do momento que a ter idade de beber vinho e espumantes nos casórios ( ou então a roubarem os copos dos convidados logo aos 12 anos) tudo ficou muito mais divertido! Por isso, o melhor nos casamentos e antes de investir no bom DJ, consiste em seleccionar uma boa garrafeira… porque contribui para a alegria de todos!

Ir a um casamento de amigos é mil vezes mais giro, do que ir ao casamento da prima Cilinha que mora em Viseu… estar com “ família” que dizem que é nossa mas que nunca os vi mais gordos… e dizerem-me constantemente “ Estás mais alta” quando deixei de crescer aos 15 anos…( já nem me dou ao trabalho de mostrar os “saltos” e explicar para que servem porque não vale a pena!).

Por isso é com enorme satisfação que vou ao casamento no próximo sábado de uma grande amiga minha ( Joana), com um Curriculum invejável de 8 anos de namoro
( coisa rara nos nossos dias).

Eu não serei madrinha verdadeira, mas pronto, sou emprestada! Na verdade até me sai um peso de cima, porque não há nada pior do que ter uma madrinha tesa…

Em compensação a minha boa vontade é dada de sobra! Ofereci-me para fazer o filme para o casamento dela ( aquele com fotografias deles de pequeninos até agora) e com a ajuda do meu Spielberg ( aliás …ele é que fazia tudo que é cromice e indecifrável para mim e eu tinha a nobre parte dos bitaites) depois de 8 horas, o filme ficou prontinho…. com 10 minutos no total ( aproximadamente). Um excelente realizador como só ele ( L Y) excelentes protagonistas ( os noivos) e a maior bitaiteira do mundo ( a palavra acaba de ser criada!) Moi même!

O que é bom nestes filmes é que depois de um estágio de choradeira, quando estivemos a montar o filme inteiro, já poderia ser protagonista de uma novela da TVI ( a técnica está apuradíssima, acreditem!).

Tive momentos de lagrimazinha no olho, outros de verdadeiro riso, porque adoro histórias de amor, acredito piamente no casamento, acredito no amor para toda a vida.
Tenho ódio de morte a quem usa estatísticas e outras porcarias para me dizer contrário.
Odeio quem fala do casamento como um negócio… como um contrato promessa compra e venda…
Se for uma senhora idosa que vive sozinha com 10 gatos, eu dou um desconto, porque não bato em idosas… quanto ao resto não vale a pena … mesmo! A não ser que queiram comprar uma guerra…

Estou desejosa para ver as reacções deles no grande dia! Surpresa total!!
Tenho vontade de o mostrar já a Joana e ao Mário o resultado do nosso trabalho, mas quer dizer.. .perdia metade da graça!

Quanto ao resto…falta pouquíssimo para o grande dia! Já agora… e alguém o tem que fazer, agradeço humildemente a Deus por ter iluminado as alminhas que inventaram o rímel à prova de água!

2 comentários:

Anónimo disse...

Como eu gostava de ver o filme.....e gostava que fossem os realizadores do proximo em Abril.Da mamy com muitos beijinhos

Ze_Cuscopos disse...

Cara vizinha,

Devo dar-lhe os parabéns pelas considerações que fez a respeito do casamento.

E para o ano estarei em Cannes para a ver arrecadar, em co-autoria, a palma de ouro, merecedíssima, com o filme de dez minutos a que se refere (é mais ou menos o tempo do lusco-fusco)!

(com uma piscadela marota de olho)

Hic Hic Hurra