terça-feira, 20 de março de 2007

O Chavalo

Estava mesmo na carruagem do metro do que eu. Tinha um ar aristocrático talvez pelo bigode imponente, com as pontas ensebadas e enroladas para cima. Deveria ter uns 60 anos, mais coisa menos coisa.

Tinha cara de pessoa saudável. Não fez o rídiculo de pintar o cabelo ( nem de castanho, nem de louro, nem de preto ou ruivo) e por isso exibia um belo cabelo branco, bom corte e com a barba bem aparada.

Cheirava bem o senhor. O fato estava perfeito, bom corte, uma gravata muito “ wesley” impecavelmente escolhida a combinar com o fato, camisa e sapatos. As meias eram escuras, a camisa azul clara bem engomada e com botões de punho com gosto.

Quase que me parecia um homem atirar para o queque quando derrepente o senhor vira a cara e algo me salta à vista:

- UMA ARGOLINHA DE OURO NA ORELHA!!

Olhei várias vezes para ver se não me tinha enganado, se não estava a alucinar por completo. Mas não! Aquele senhor que estava ali à minha frente… tinha um brinco na orelha que não tinha nada a ver com ele. Sei lá, é a mesma coisa que ver os gatos fedorentos a fazerem uma peça dramática! Simplesmente não combina e não tem nada a ver!

Ou será que tinha e a roupa é que não?? Será que a roupa reflecte um pouco de nós ou será que são os pormenores dos acessórios que fazem cair a máscara e revelar quem somos?

Fiquei confusa. Não sei porque mas aquele argolinha na orelha em ouro fez-me olhar para ele com outros olhos. Derrepente de senhor “alinhado”, comecei a imaginá-lo um filho da revolução! Por debaixo do casaquinho e da camisinha estaria uma tatuagem amor de mãe?

Comecei a pensar como há pormenores que fazem totalmente a diferença. Aquele brinquinho abimbalhava completamente o senhor! Derrepente se alguém o tratasse por chavalo, já não me chocava.

Afinal somos a roupa que escolhemos ou os acessórios que usamos?

3 comentários:

Anónimo disse...

ARGOLINHA.....HUM! TEM PAI QUÉ CEGO.....

ticha disse...

Acho que os acessórios revela um pouco da identidade....a roupa é algo que somos muitas vezes obrigado a usar em função da vida profissional (os fatos), os acessórios (neste caso o brinco) algo para revelar a nossa verdadeira identidade....(mas é só uma opinião)

Viriato disse...

Não quero ser mau, mas... e será que por baixo do fato estava um soutien preto acompanhado da respectiva cueca fio dental?! Ou teria todo o corpo tatuado pela Yakuza?!Ou teria um pijama com imagens do Pato Donald?! Ou seremos todos, tão só, confusos, contraditórios, complexos, interessantes, incertos, excêntricos, criativos, enfim, humanos, demasiado humanos??!!!
Gostei do blog e vou voltar.