segunda-feira, 15 de janeiro de 2007

Fusilli Tricolori del Mar

Na sexta feira, saí do trabalho ( andei desde Quinta-feira com um melão do caraças, daqueles tão grandes , mas tão grandes que poderia ser um digno do... Entroncamento... ) mudei a roupa enfadonha e lá fui eu jantar com uns amigos em casa da Lili e do seu quase quase maridão!! ( casam-se em ínicios de Maio:))

Antes do jantar avisou que o jantar ia ser " à pobre": Massa com Atum! Eu comecei numa das minhas divagações a pensar como o nome que se dá as coisas tem uma importância enorme, bastaria um nome pomposo para transformar a "pobreza da massa de atum" num requintado Fusilli tricolori Del Mar. E na realidade é o mesmo, a convicção com que se diz é que difere.

Esta técnica é sobejamente conhecida por inúmeros restaurantes: dá-se um nome pomposo à comida: exemplo da tasca: frango guizado; exemplo de restaurante mediano: "Coque au Vin". Basta afrancesar um bocadinho e pronto... Está optimo!! Fica logo com mais nível e sonoramente mais apetecível!

Voltando ao jantar::...a ir para lá foi, como sempre, uma aventura eu a Maria e a Sofia somos as rainhas na arte de nos perdermos para ir para qualquer lado, a última grande aventura foi no casamento do nosso amigo Ricardo perdidas no meio da serra do Rabaçal... Não se via rigorosamente nada, não sabiamos para que lado era... e encontramos a nossa "salvação".. um cafesinho.
"Boa noite! Olhe podia-me dizer onde fica a Quinta (... não me lembro do nome)". Bem... estava pelo menos 10 pessoas e eu deveria ser a única sóbria. Cada um me consegui dar uma indicação diferente (cada cabeça sua sentença, claro está!!A muito esforço enrolavam a língua e diziam: "euu adddchoo qiéeeeeeee paaaa li" ... e eu sem mapa...;) Boa maria!! Perdemo-nos está claro e fomos todas para casa, depois de 1 hora de busca intensa à noite e no meio da serra à procura de uma agulha no palheiro (sim.. e o pessoal que estava na Quinta não tinha rede para que pudessemos contactar!!)

Para o jantar desta sexta-feira o mesmo "dejá vu"... Eu confesso que já não acredito na chamada intuição feminina. Porque essa, tem sempre falhado quando se trata de escolher caminhos, por isso a intuição feminina mais "profunda" é que não vale a pena opinar, porque nós mulheres ( tirando raras execpções!!) temos um péssimo sentido de orientação. (Chamo-lhe" intuição profunda ".. mas na verdade é apenas e somente bom-senso!)
O que a "intuição mais profunda" diz.. é "não opines.. direita ou esquerda, cima ou baixo , só porque achas que tens a vantagem do sexto sentido feminino..." Boa escolha, calei-me! Peguei no telemóvel e perguntei: Para onde é que é?? Espera ai que vou passar!! ( e passei ao macho do carro!!, chegamos lá em 2 minutos!)

O jantar estava bom, não achei nada à pobre. A Lili é sempre uma exagerada!! Depois fomos todos ver um filme que nao me recordo bem o nome ( mas é qualquer coisa como os 2 destinos com o Nicolas Cage) e que basicamente diz, que é bom é ser-se pobre e que uma vida sem bem materiais é muito mas muito mais gratificante. Não fiquei mesmo nada convencida, mas fica bem a léria do costume para tapar com a peneira o "American dream". O sonho americano não é o guito que se ganha, ter um emprego...Por isso, ser um "self made man " nao interesssa nada, porque o mais importante é a família, ter uma casa bimba cheia de luzes no exterior, e trabalhar na loja do sogro a vender pneus.

Deitei-me a pensar o quanto tinha sorte, e que na verdade é tão fácil ser-se feliz..
O Filme é hollywoodesco , mas afrancesado no conteúdo.

1 comentário:

Pedro Torres disse...
Este comentário foi removido pelo autor.