segunda-feira, 9 de julho de 2007



Second Life


“Olá eu sou a Lara e tenho 24 anos.”

A Lara poderia ser a minha personagem do Second Life. E não a faria à minha imagem e semelhança, teria de a fazer bem diferente de mim, e como quando se arrisca, já agora arrisca-se alto…pronto Lara Croft estás adoptada!

Tiro-te assim umas gramas de radicalismo, punha-te umas gramas de “ feminismo” mudo-te os calções para uma saia ou um vestido justo e saltos altos, solto-te o cabelo, “formo-te” em Direito na Sorbonnne e estás a minha cara! ( a minha cara como quem diz). Aceitas-me?

E a Lara diria que sim!Eu dar-lhe ia”vida” e ela a forma. A minha segunda pele ( bem mais bronzeada é certo) , o simulador da vida real. A Lara seria o meu oposto, poderia ser o meu maior orgulho ou a minha maior frustação.

O SL seria o meu novo mundo onde as regras são idênticas a qualquer uma a que qualquer um de nós enfrenta. Há redes sociais, grupos, há um próprio sistema de moeda
( Liden Dollar), comércio virtual, espaços lúdicos, universidades, bancos.
( Já agora … o António Costa também já se “ auto-criou” no Second Life…. 10 kilos mais magro e sem óculos)

A verdade é que ao número que este “ jogo” cresce exponencialmente, cada vez mais me convenço de que há uma presunção comum de construir um mundo perfeito.
Eu construiria o meu protótipo de perfeição, porque os limites seriam imensuráveis.

E será que criação do SL não irá provar que no limite mesmo no mundo “ supostamente” tão perfeito não será mais agressivo que a Primeira Vida?

E isso porque o “ perfeito” foi deliberadamente criado e choca precisamente com essa frustração intrínseca do ser o humano… a racionalidade de sabermos que o não somos e que jamais será possível. Por isso, talvez a nossa criação se tornasse internamente a maior rival…

Prefiro ter a sobriedade de pensar que essa veia divina da criação não é bem para mim…ou então adivinho uma frustração futura …. à qual digo de caras
( Não obrigadinha!).

E quanto a ti Lara, não fiques triste! Há de haver alguém que te aceita tal como és, ou então se calhar não…és demasiado perfeita para que te aceitem. Proponho um dia que te reeiventes numa Third Life que um dia há-de vir por ai( suponho)! Só te tenho a desejar boa sorte, sem hard/ heart Feelings. Juro!

4 comentários:

Ticha disse...

A perfeição não existe, mas o facto é que a maioria dos seres humanos procuram a perfeição...e aqui podes ser quem tu quiseres e todos nós gostariamos de ser diferentes ou mudar qualquer coisa.

Rabodesaia disse...

ticha! Se tivesses uma personagem como a chamavas?

Ze_Porvinho disse...

Cara vizinha rabodesaia,

Se eu tivesse uma personagem seria a Super Bock (perfeita, perfeita, perfeita...).

Mas como gosto de "cair na real", apesar de achar que o mundo bem precisa de ficar um bocadinho mais Super Bock também, prefiro ser just me, the old me! E acho que não me habituaria a ser outra pessoa, a menos que fosse o responsável por várias adegas cooperativas...

Hic Hic Hurra

Nota - Lembro-me sempre da velha máxima: Nobody's perfect, but who wants to be a nobody?

Ticha disse...

Se tivesse uma personagem seria "a perfect woman", a esposa perfeita, a filha perfeita, a profissional perfeita, a dona de casa perfeita...

Mas "Nobody's perfect, but who wants to be a nobody?"