terça-feira, 10 de julho de 2007

Os Queijinhos Frescos


Sempre que me lembro de meninos da mamã lembro-me daquele grupo infantil: Os Queijinhos Frescos com a Ana Faria. E lembro-me disso porque quando era miúda pensava mesmo que a Ana Faria era mesmo mãesinha daqueles miúdos todos.

Pensava muitas vezes em como ela tinha sorte em ter filhos que cantavam como rouxinóis enquanto a minha mãe tem três filhos que cantam como canas rachadas! Enfim, cada um nasce para alguma coisa, e a minha voz é óptima para espantar pardais.

Enfim… mas peguei na Ana Faria e nos Queijinhos Frescos…e já agora no meu handicap por um propósito: tem tudo a ver como uma conversa clássica que tive ainda há poucos dias com uma amiga minha: gajos! Mas dentro da classe de “ gajos” a conversa direccionou-se para os “ gajos” meninos da mamã …. que são carinhosamente apelidados por mim, como “ queijinhos frescos”. ( está explicada a excelente associação de ideias).

O "queijinho fresco" é por minha definição um gajo que está sempre agarrado a saia da mae ( Pode ser a Ana Faria ou quem quiser) e que a mamã faz a questão de educar o seu menino como o seu " ai jesus" em que não lhe é permitido fazer nada em casa. Nada é mesmo nada! Coitadinho não é?

O problema do "queijinho fresco" júnior é que os anos passam e depois está de tal modo habituado a não fazer nada, que se torna normal a presença da mão invisível que como por magia aparece com tudo feito!

Ou seja o "queijinho fresco" é aquele que ainda nem chegou ao estatuto de Danoninho (“ainda falta mais um bocadinho assim” )quanto mais para atingir o patamar de um queijo curado!

O “queijinho fresco “ de refinado só tem o nome que lhe dei. Porque no fundo não passa de um grunho ( ele não tem culpa, ou pelo menos não totalmente) que acha que a mulher tem a obrigação de fazer comida, lavar a roupa, passar a ferro, aspirar a casa, enquanto ele está a frente da televisão…. A praticar “ machesa” que é não mexer uma palha…

Ele é o “ macho” da casa e a mulher a fada. Diz a alto e a bom som que quem manda em casa é a Patroa ( esse nome é muito bom), mas que quem manda nela é ele! A desculpa para não fazer nenhum está na ponta da língua… “ eu nunca fui habituado a fazer isso! A minha mãe é que fazia tudo”.

Mas o grunho, o "queijinho fresco" ou o diabo que o valha tem razão: ele não tem culpa….a culpa é nossa! "Nossa" das mulheres que fabricamos a bomba atómica dentro da própria casa sem que nos demos conta! O " nosso papel" de limagem psicológica começa precisamente ai... ou então está tudo perdido! “Nossa” no sentido de que nós, um dia futuras mães incutimos constantemente o “ papel” masculino e feminino,
Não me lixem!

Não tenham medo que os filhotes não ficam gaysolas se ajudarem a levantar a mesa, ou a limpar o pó, ou fazerem a cama. Ok? Que eu saiba os feijões verdes também fazem isso tudo no quartel e vá lá alguém ferir o orgulho “verde tropa” a dizer que isso não é de homem que leva logo uma belinha!

Por isso, futuras maesinhas de "queijinhos frescos", ou maesinhas que ainda estão a tempo de remediar e torná-los em queijo curado… por favor, deixem-se de cantigas e deixem isso para a Ana Faria e para os rouxinós fadunchos. Por favor... ponham-nos a trabalhar.

4 comentários:

Ticha disse...

Os queijinhos frescos são uma raça tramada.....

Ze_Porvinho disse...

Caras vizinhas,

Desconfiem de todos os meninos da mamã que se chamem Bruce. Porquê? Por causa da Brucelose!

Hic Hic Hurra

Rabodesaia disse...

Pois é caro vizinho,

Também já ouvo dizer para desconfiar de todos os meninos da Ota... os otários!
mas isso são as más linguas!! e eu prezo muittttto o meu lugarsinho no céu!

João J. disse...

Epá com esta descrição.. devo ser um queijo daqueles de Serpa, que se conseguem abrir so a escopro e martelo...

sou um gajo pouco exigente... so tenho algumas lacunas no que respeita ao passar a ferro.. de resto... ja tenho os cursos todos... alguma das meninas me ensina a passar a ferro?? ;)