segunda-feira, 18 de junho de 2007

Barrigas ao Alto


Verdade seja dita, os Records do Guiness são quase por definição uma amostra da limitação da mente humana. Quer dizer…. O que se poderá pensar quando se ve record como o do homem que inalou leite pelo nariz e deita pelo olho, o record do mundo do homem com piercing na língua, que levanta 11, 51 kg e aguenta 5 segundos… do record do mundo do homem que tem uma barba de não sei quantos metros!! O record do maior bolo de chocolate do mundo! O Record do mundo de pais Natal! ( podia falar agora do Benfica… e o record de sócios… mas fica para a próxima!) O que é que interessa?

De modo geral os records servem basicamente para fazer de meia dúzia de nerds que fazem dos record’s de coisas totalmente ridículas a sua razão de viver, que afinal não são nerd’s de todo ….são nerds recordistas de alguma coisa! É uma forma de desculpar a anormalidade e de premiá-la, colocá-lo num livro de record’s do mundo e perpetuar para toda a eternidade uma quantidade enorme de excêntricos, nerds, e o que quiserem chamar. Uma forma de tornar atractivo o que é totalmente repelente. Será isso?

Sim… sem dúvida, eles foram os melhores do mundo um dia em alguma coisa! Os imbatíveis!E para quem tenha dúvidas, imagino que têm o livro gravado a ouro em casa e outro emoldurado na parede: “ vês filhinha, o papá é o campeão do mundo em inalar leite pelo nariz e deitar o leite pelo olho!” A miúda poderá ir para a escola dizer, que o papá é um espectáculo, e calará todas as criancinhas, mesmo aquelas que dantes calavam todas as outras quando diziam: “ O meu pai é polícia e pode prender vocês todos!”.
( claro que quando crescer será somente a filha do anormal!).

Enfim, como já deu para perceber não sou propriamente fã dos record’s do Guiness (além de achar parolo) pela nulidade que servem, mas não consegui ficar indiferente ao record do Guiness de mulheres grávidas em Oeiras este fim-de-semana! Pelo menos uma das poucas vezes que me lembro, alguma coisa com um motivo válido e social.

Quando nos saltam aos olhos números preocupantes como 60% dos casais não têm filhos, quando se verifica que a sociedade portuguesa está cada vez mais envelhecida, se calhar até percebo a iniciativa porque precisamente este record’ s têm um efeito social apelativo e “obrigam” a colocar na agenda da comunicação social um tema que merece destaque: Cada vez nascem menos crianças em Portugal! Cada vez é mais raro nascer um bebe. E as maternidades fecham como causa ou consequência disso?

Porque é que as pessoas não tem filhos? E porque é que têm? Hoje em dia a questão coloca-se mais ao contrário. Porque sim, porque aconteceu, porque é giro, porque estava na hora, porque todos os amigos já têm, porque querem alguém que lhes siga os passos, ou então se sejam tudo aquilo que não foram mas que quiseram ter sido, pelo instinto de sobrevivência, porque é muito mais giro uma casa cheia, porque se tem dinheiro, porque não é assim tanto dinheiro, porque não se quer ficar sozinho na velhice, porque um bebe é um safa para o casamento, porque ela queria muito ter filhos, porque ele queria muito ter filhos. Porque ele quer uma menina igualsinha a mae, porque ela quer um miúdo parecido ao pai. Por medo, por amor, por narcisismo, por por por...

Não me espanta se qualquer dia qualquer casal que tenha mais de 4 filhos vá parar ao livro de Record’s. (Isto se pensármos que uma família com 3 filhos já é considerada numerosa).
Mudam-se os tempos… mudam-se as vontades!

6 comentários:

Ze_Porvinho disse...

Cara vizinha rabodesaia,

E que tal: porque um filho é a prova do amor existente entre duas pessoas, vivificando-o?

Era capaz de ser uma boa explicação, digo eu, que nestas coisas de viver... só sei que nada sei!

Hic Hic Hurra

Nota - Um verdadeiro feito capaz de registo no Guiness Book of Records seria o final da Guerra entre os Homens, o extermínio da Fome no Mundo, a erradicação da Poluição e a compreensão de que tudo é tão fugaz nesta vida que até parece impossível como, por vezes, fazemos questão de a complicar com questiúnculas, desentendimentos e outros assuntos de somenos importância, esquecendo o essencial! Ai, Zé, volta lá a hibernar, que é o que tu tens de melhor, não te ponhas para aqui a escrever disparates na vizinhança!

Rabodesaia disse...

Caro Engenheiro zé,

Essa sem dúvida seria a melhor das definições! Espero pelo menos a que seja um dia seguida por mim!

Ticha disse...

É um facto "um filho é a prova do amor existente entre duas pessoas", mas infelizmente cada vez menos é encarado pela sociedade como tal e levantam-se as questões do porque sim, porque está na altura, porque todos os amigos já têm, porque aconeteceu....Agora viremos "a medalha", ter um flho em Portugal, quais os incentivos que existem?!! Pessoalmente fico aterrorizada quando vejo amigas minhas a pagar 400€ por um infantário, este é apenas um pequeno exemplo....para ter um filho é preciso poder ter um filho...

Rabodesaia disse...

sim, concordo contigo ticha! é Preciso querer e poder te-lo, não só dinheiro, mas tempo e disponibilidade. Uma criança merece toda a atenção do mundo. Além de ser chocante o que se paga nos infantarios, ainda é mais chocante quando penso que estamos a criar um filho e que o tempo que se esta com ele... é 2 horas por dia?

Catarina disse...

Pois é meri...são essas e outras tantas que levam as pessoas a pensar e repensar! Ainda há quem não pense!!! ehehehe e não se arrependa!! Beijosssss

João J. disse...

Muito bonito, o teu post.. mas acho que te esqueceste de uma coisa que talvez tenha escapado a muita gente (ou entao sou o único à face da Terra que tem esta ideia), mas acho que a "concentração" de ontem foi mais uma chapada na cara (figurada) de quem há uns meses andou a fazer campanha pelo SIM ao aborto. Todas aquelas mulheres que lá estavam, disseram Não ao aborto do filho que carregam, e isso sim é de louvar!!

E para já fico por aqui, antes que entre por terrenos mais pantanosos que este...