sexta-feira, 1 de junho de 2007

A Verdadeira História dos Portugueses na Letónia



Estava um grupo de cinco portugueses e dois espanhóis na Letónia e um deles lembrou-se:

-“ Já compraste prenda à tua mãe?”
- Não, e tu?
- Ganda bronca! É melhor comprar qualquer coisa, senão acabou-se os tupperwares com comidinha para a semana inteira, e a roupa passada a ferro!!
- Ui nem me fales nisso!! Isso era uma desgraça!! Já viste o que era deixar de brincar ao sou " muito independente" , mas quem me faz tudo é a minha mãe... porque me esqueci da prenda para ela???

A palavra foi-se espalhando no grupo, tudo porque o amor de mãe, tupperwares cheinhos de comida boa da mamã e roupa passada a ferro, não tem preço! E mãe há só uma!!!

E tudo começou assim!! Bons filhos, que se lembraram de como era bom levarem um souvenir para Portugal para as mamãs. O problema era que tinham pouco dinheiro e queriam alguma coisa “ mesmo, mesmo típica do país”. Até que algum iluminado se lembrou:

- “ Olha, que tal uma bandeira?”
- Epa, grande ideia , souvenir inesquecível! Mais representativo da Letónia do que isto, é impossível! ”. ( sorria de feliz, com a ideia de génio do amigo!)
- Oh Carlitos, mas isto é um bocado difícil por aqui… ainda não vi lojas chinesesas por aqui a vender bandeiras…e se calhar os supermercados não dão bandeiras com alguns trocos de compras…. como em Portugal.
- Está complicado….E que tal se for aquela? É grande e tudo!!! ( apontando para uma bandeira num edifício)

- Excelente! Vamos curtir um bocado a gamar a bandeira da Letónia e vamos relembrar os velhos tempos de quando roubávamos a bandeira do Mac na Segunda Circular!
Eramos os rebeldes do Técnico…. Fogo! Lembraste-te quando roubámos 10 bolos à Dona Deolinda lá no bar do IST?? Somos Ganda malucos!! ( o olhar ela longíquo e de orgulho)

E os pobres rapazes lá foram em busca da prenda da mamã mais que perfeita… típica e recordar os tempos de rebeldia em Portugal.
Roubaram a bandeira e aperceberam-se:

- E agora quem é que fica com ela?
- Eu é que fico….
- Não… eu é que fico!
- Eu! Eu! Eu!
- EUUUUU!!! Eu quero mais do que tu!!!
- Calma rapazes, porque não dividimos a bandeira por todos? Vamos ser civilizados, e partilhar uns com os outros!!!Rasgando-a aos pedacinhos! Boa??
- Boa!! Tu quando fumas umas brocas, até que dizes umas cenas bacanas!

Nesse preciso momento da partilha, foram surpreendidos pela Polícia!!
Como é que é possível? A polícia olhar para aqueles rapazinhos de 24 anos e não perceber como umas crianças de barba feita daquelas idades têm o direito de brincar! Recordar o nosso país é em grande parte fazer distúrbios, mandar papéis para o chão, cuspir para o chão, roubar sabonetes, toalhas e champôs do hotel… e porque não gamar uma bandeira? E porque não partilhá-la, rangando-a e dividindo-a com os amigos?

Os Tugas tiveram azar, não deveriam saber letão senão ter-lhe iam dito: “Amigo, toma lá uma notas para ires beber uma mini!”
E se calhar até se safavam... teriam ido beber também com o senhor agente e teriam ficado com o nariz, tão vermelhusco como a Rena Rudolfo… e ter sido uma noite de loucura só ultrapassável quando o “grupo de rebeldes” gamou a bandeira do Mac na segunda circular! ( fogo”gandes” malucos!)

Mas a sorte não esteve do seu lado… há dias assim… É a prova como uma boa ideia e boas intenções pode levar a resultados trágicos e a mal entendidos!

6 comentários:

Catarina disse...

Meri, essa história é espectacular!Andas boa? Beijosssss

Ze_Porvinho disse...

Cara vizinha e engenheira,

Com esta descrição tão real de um dia de reunião da aldeia até fiquei arrepiado.

Sinceramente, não me consigo recordar se alguma vez nos reunimos na Letónia, mas, uma vez, chegámos a atravessar a ponte em conjunto e passámos quase 2 horas em pleno deserto da Costa da Caparica.

Mas, tirando um tipo com umas grandes barbas e uma camisola do benfica que mais parecia o chefe dos beduínos, a única bandeira que vislumbrámos foi a que nós próprios estávamos a dar!

E, para terminar, faço votos que volte à adega lá da aldeia.
Será que já se notam os efeitos? (vidé pergunta que foi formulada no primeiro comentário).

Hic Hic Hurra

Rabodesaia disse...

LOLO! Cat adorei o teu comentário!
adorei a tua história... tas boa da cabeça???


Quando a si engenheiro ze,
devo dizer-lhe que o meu informador secreto é que me contou a verdadeira história dos Tugas e eu decidi que tinha o dever de publicar a história real!!

Ou será que fui eu que me inflitrei na tasca da aldeia, dentro de um barracão de tintol!!?

não posso confessar as minhas fontes;)

Fiquei revoltada com as coisas horriveis que andavam para ai a contar : " ah e tal... são uns buçais!!" A verdade tem que ser reposta... e eu vou tentar vender esta história ao "Tal e Qual"

Ticha disse...

Miuda, um decrição com um tok muito real...O pior que ao ler o teu post, revi-me em algumas coisas, não na parte de roubar a bandeira do Mac da 2ª circular, não na parte de cuspir e deitar papeis para o chão ou fumar umas brocas ...mas na parte da comida da mama (rica vida de estudante, lá vai o tempo...) e levar os sabonetes, gel e afins do hotel...mesmo há tuga! Acho que faltou-te um detalhe, o corta unhas tuga, tuga que é tuga leva corta unhas e é apanhado no detector de metais do aeroporto...hehe

Rabodesaia disse...

Tens razão ticha!
Como me pude esquecer do corta unhas??? :)))))
Ai a comidinha da mamã!! ( mamã leres isto...hum... bacalhau com batatas a murro please em correio verde!)

Luís Nogueira disse...

Acho que o "latões" exageraram... Agirão como se estivessem em 1980 e secalhar até estão!